S. Miguel do Rio Torto: Actualidade e História

Site de História e Actualidade de S. Miguel do Rio Torto. Toda a informação retirada do blog para quaisquer trabalhos/publicações, o blog deverá ser citado. Por outro lado, comentários anónimos,com nomes fictícios, frases que visem atingir outrem ou palavras menos correctas serão apagados assim que me aperceber da presença no blog.

A minha fotografia
Nome:
Localização: Coimbra, Coimbra, Portugal

Natural de S. Miguel do Rio Torto (Abrantes). Licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra. Estágio Profissional no Arquivo Histórico do Concelho de Abrantes. Pós-graduado em Ciências Documentais (Arquivo). Organizou e Inventariou o Arquivo da Escola Superior de Enfermagem de Coimbra. Mestre em História - Museologia pela Universidade de Coimbra. Interesses de Investigação: História da vida estudantil, História da Universidade, Patrimónios material e imaterial da vida estudantil. Museu Académico de Coimbra. Autor de vários livros como as biografias de Lucas Junot, Dr. Joaquim Isabelinha e de instituições como o Museu Académico de Coimbra. Trabalho na Galeria Académica do Museu da Ciência da Universidade de Coimbra.

domingo, novembro 26, 2006

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto: texto introdutório

O meu objectivo era introduzir todas as imagens num único post mas tal não foi possível, desta forma, optei por fazer um post com cada imagem de fonte ou fontanário e este texto introdutório.
Se há algo que o nosso país é rico é em Fontanários e Fontes, pois antes de haver água canalizada era onde a população se abastecia e isto não vem só de agora, pois se regredirmos no tempo até às Civilizações Clássicas, mais própriamente à Civilização Romana já existiam os chafarizes publicos onde a população se ia abastecer com as Ânforas.
Durante o Estado Novo apostou-se muito no abastecimento de água através dos chafarizes públicos e não era de estranhar que viesse um Ministro (ou mesmo o próprio Salazar) a uma aldeia inaugurar um Fontanário ou uma Fonte. Nem é preciso ir muito longe, basta irmos à Bemposta, terra natal de um dos mais importantes Ministros da Justiça do Estado Novo: Professor Manuel Rodrigues Júnior e repararmos à entrada daquela localidade numa fonte inaugurada por este em 1934 em que ficou inscrita a frase: 1934 - Obra da Dictadura.
Certo é que com a canalização domiciliária de água as Fontes e os Fontanários perderam a sua importância e vão sendo abandonados, vandalizados e sobretudo fechados! Como aconteceu recentemente no Fontanário do Cemitério Paroquial de S. Miguel do Rio Torto, facto que é de lamentar como já opinei no blog mais antigo.
O que importa referir é que se salvem os últimos exemplares de Fontanários e Fontes que existem na nossa Freguesia.
Nota: As fotos são da minha autoria.

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto

Fonte do "Ladeiras"
Esta fonte não tem qualquer indicação de data e certamente foi construída pelo proprietário do terreno onde se encontra, já que se trata de uma propriedade privada. Corre água com abundância tendo duas bicas como se pode observar na imagem: uma em cima, outra em baixo.

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto

Fontanário em Carvalhal
Fontanário edificado em 1936 por ordem da Câmara Municipal de Abrantes em Carvalhal (mesmo em frente da antiga Companhia de Moagem de Abrantes), durante o "Consulado" de Henrique Augusto da Silva Martins na Câmara Municipal de Abrantes. Ainda corre água.

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto

Fonte do Vale de Lobo
Esta fonte foi edificada em 1942 por ordem da Junta de Freguesia de S. Miguel do Rio Torto. Situa-se junto da estrada de ligação entre S. Miguel do Rio Torto e Tramagal, no início da Rua da Cerâmica que brevemente se chamará Rua Sebastião Lino de Almeida. A fonte corre água, no entanto, como se pode ver pela imagem o edifício tem sido objecto de vandalismo.

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto

Fonte do Outeiro, em S. Miguel do Rio Torto
A Fonte do Outeiro não tem qualquer indicação de data ou de quem a mandou construir. Contudo o local de Outeiro já surge no Século XIX nos Livros de Registo Paroquial e nos Róis de Confessados e Comungados. Segundo esta última fonte histórica era um local com um considerável número de fogos e habitantes e teria uma certa importância, pois a etnografia vai buscar a Fonte do Outeiro na letra das "Saias de S. Miguel" interpretada pelo Rancho de S. Miguel:
Se queres dançar as saias
Tens que ter o pé ligeiro
Se quiseres ter boa voz
Bebe a água do Outeiro

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto

Fonte da Amieira
Fonte da Amieira em S. Miguel do Rio Torto. Esta fonte data de pelo menos 1937, pois na obra do Dr. Henrique de Vasconcelos Miranda Abrantes - 1937, nas fotos que incluiu de S. Miguel do Rio Torto esta Fonte já existe áquela data tendo, no entanto, sido desprezada. Em Julho de 1993 foi restaurada e corre água, não na fonte principal mas numa fonte secundária. Tem mesas para quem quiser merendar.

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto


Fontanário em S. Miguel do Rio Torto, no Largo do Pinheirinho
Este Fontanário foi colocado em 1957 por ordem da Câmara Municipal de Abrantes num dos emblemáticos Largos de S. Miguel do Rio Torto: o Largo do Pinheirinho. Se estivermos atentos à etnografia, na letra das "Saias de S. Miguel" do Rancho de S. Miguel refere:
No Largo do Pinheirinho
No meio tem duas roseiras
Ali brilha a mocidade
Das raparigas solteiras
Esta quadra poderá referir que o Largo seria importante.

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto

Fontanário em S. Miguel do Rio Torto, no Canto das Fróias
Este Fontanário não tem qualquer indicação de data ou de quem o mandou colocar. Actualmente não corre água.

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto


Fontanário do Cemitério Paroquial de S. Miguel do Rio Torto
Fontanário existente no Cemitério Paroquial de S. Miguel do Rio Torto. Não tem qualquer indicação de data ou de quem o mandou colocar. Actualmente não corre água, pois por ordem da Câmara Municipal de Abrantes, em Janeiro de 2006, foi cortado o abastecimento de água deste fontanário onde se abastecia de água práticamente todo o Concelho de Abrantes, atitude sobre a qual já opinei no blog mais antigo).
Antes de estar neste local, este fontanário esteve em S. Miguel do Rio Torto no Largo do Arneiro (em frente do edifício da Casa do Povo).

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto


Fontanário em Cabrito
Fontanário na localidade de Cabrito. Não tem qualquer indicação de data ou de quem o mandou lá instalar. Ainda corre água.

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto

Fontanário em Bicas
Fontanário em Bicas, colocado em 1967 por ordem da Câmara Municipal de Abrantes. Caracteriza-se por ter em azulejo a figura do Santo António.

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto

Fontanário em Bicas
Fontanário em Bicas, colocado em 1947 por ordem da Junta de Freguesia de S. Miguel do Rio Torto. Caracteriza-se por estar albergado por um pequeno telhal tipicamente português (repare-se na ponta das telhas em bico nos lados do telhado).

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto

Fontanário em Bicas
Fontanário na localidade de Bicas colocado em 1967 por ordem da Câmara Municipal de Abrantes. Caracteriza-se por ter uma gravura de S. João Baptista em azulejo. Segundo informação de um habitante da localidade não corre água desde que foi repavimentada a estrada entre Bicas e Vale de Açor.

Fontanários e Fontes da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto


Fontanário em Arrifana
Fontanário em Arrifana, junto à Escola Primária daquela localidade. Não tem qualquer data ou por ordem de quem foi mandado colocar. Corre água e é actualmente onde grande parte da população se abastece de água.

Fontes e Fontanários da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto


Fontanário em Arrifana
Fontanário na localidade de Arrifana colocado em 1936 por ordem da Câmara Municipal de Abrantes (no tempo de Henrique Augusto da Silva Martins como Presidente da Câmara).

Fontanários e Fontes da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto

Fontanário em Arreciadas
Este fontanário situa-se numa Rua transversal da povoação. Terá sido ali colocado em 1967 por ordem da Câmara Municipal de Abrantes.

Fontanários e Fontes da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto


Fontanário em Arreciadas
Fontanário Existente em Arreciadas, mais ou menos a meio da Rua Principal daquela povoação e que terá sido ali colocado por ordem da Câmara Municipal de Abrantes em 1967.

sexta-feira, novembro 17, 2006

Cronologia de S. Miguel do Rio Torto


NOTA: A imagem foi retirada do site da Câmara Municipal de Abrantes em: http://www.cm-abrantes.pt/ na parte respeitante à Freguesia de S. Miguel do Rio Torto.
Antes de começar a cronologia própriamente dita, convém referir que esta cronologia nunca está terminada, pois à medida que vão surgindo factos dignos de registo, estes vão sendo acrescentados.
Por outro lado, uma vez mais afirmo que não é sabendo datas e decorando-as que se sabe História (tal como saber os reis de cor e salteado: isso não interessa para nada, é uma ideia errada que se continua a ter da História), o que interessa são os factos, tal como as causas e consequências destes. Por isso repito, a cronologia á um auxiliar da História apenas não é para se estar a decorar datas.
Importa também referir que os dados inscritos na cronologia foram resultado de investigações minhas, baseados em obras de Eduardo Campos ou em periódicos locais.
CRONOLOGIA DE S. MIGUEL DO RIO TORTO
1248 - Em Outubro, o topónimo Rio Torto Surge num documento.
1365 - Em Março, outro documento refere o topónimo Rio Torto.
1378 - Em Janeiro, um documento refere o monte onde actualmente se situa S. Miguel do Rio Torto.
1613 - São de 1613 os Registos Paroquais mais antigos até agora conhecidos da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto, o que prova que em 1613 já é Freguesia. Estes registos encontram-se na Torre do Tombo.
1646 - Com a criação das Companhias de Ordenanças por D. João IV, com vista à defesa do território nacional, foi criada em S. Miguel do Rio Torto a Companhia S. Miguel, comandada por António Rodrigues Manaia.
1691 - Nasceu Dona Ana de Lorena, filha do 1 º Marquês de Abrantes que viria a ser donatária de S. Miguel do Rio Torto.
1707 - Segundo o Livro das Fintas (Imposto da época moderna), S. Miguel do Rio Torto já é Freguesia, embora já o seja anteriormente devido aos registos paroquais de 1513
1712 - Segundo a primeira edição da "Corografia Porguesa" do Padre Carvalho da Costa, tem 150 fogos.
1755 - No terramoto de 1 de Novembro, em S. Miguel do Rio Torto também houve estragos, pois segundo as memórias paroquiais algumas casas ficaram com fendas nas paredes.
1758 - Segundo as memórias paroquiais, tem 201 casas e 691 moradores. A Donatária é Dona Ana de Lorena.
1761 - Faleceu Dona Ana de Lorena, que era a Donatária de S. Miguel do Rio Torto.
1807 - Durante a 1 ª Invasão Francesa, as tropas de Junot terão "visitado" S. Miguel do Rio Torto.
1822 - Através de um decreto que cria as Assembleias Eleitorais do Concelho, S. Miguel do Rio Torto é uma das Assembleias.
1837 - S. Miguel do Rio Torto é um dos círculos eleitorais do Concelho de Abrantes
1839 - Surgem os primeiros conflitos pelos limites geográficos entre S. Miguel do Rio Torto e Rossio ao Sul do Tejo.
1841 - Numa Sessão da Câmara Municipal de Abrantes, são definidos os limites de Freguesias entre S. Miguel do Rio Torto e Rossio ao Sul do Tejo
1842 - Como Assembleia Eleitoral, S. Miguel do Rio Torto abrange: S. Facundo, Pego, Bemposta e Tramagal.
1849 - Segundo o Recenseamento Nacional tem 269 fogos, 894 habitantes (423 homens e 471 mulheres), 28 nascimentos (12 homens e 16 mulheres), 20 óbitos (9 homens e 11 mulheres) e 6 casamentos.
1854 - Em S. Macário é estabelecido um posto de Saúde contra a cólera.
1859 - Segundo os Róis de Confessados e Comungados de S. Miguel do Rio Torto, a partir desta data a Freguesia tinha os seguintes lugares: Areias, Arneiro, Arreciadas, Arifana, Bicas, Campos, Casal de Frades, Fonte do Vale, Lameiras, Maiorga, Outeiro, Outeiro da Maia, Quintas, São Macário, Sarnadas, Vale das Donas, Valongo, entre outros. De realçar que estes locais eram habitados.
1862 - A 2 de Dezembro ocorre um grande acidente na ponte do Rio Torto que originou mortos e feridos.
1862 - Segundo as Estatísticas Paroquiais tinha 336 fogos e 1265 habitantes.
1864 - Segundo a Estatística Civil tinha 1362 habitantes.
1864 - A 1 de Dezembro são extintas as irmandades das Almas e de Nossa Senhora da Piedade em S. Miguel do Rio Torto.
1867 - A 10 de Dezembro com a nova circuscrição dos Distritos Administrativos, S. Miguel é uma Freguesia Eclesiástica com 332 fogos.
1868 - A Junta de Paróquia de S. Miguel do Rio Torto é composta pelos seguintes elementos: Padre José dos Santos Duarte Marques (Presidente), Manuel Rodrigues Alfaiate (Vogal), José Joaquim de Oliveira Cabedal (Vogal), Justo Rodrigues (Secretário), Manuel Joaquim de Oliveia (Regedor).
1871 - Nasce em S. Miguel do Rio Torto, no lugar de Arneiro o Dr. João José Luís Damas, que seria médico e Republicano, tendo sido deputado na Assembléia da República durante a Primeira República, tendo nesta condição apresentado no Parlamento a proposta de elevação de Abrantes a cidade que foi aprovada.
1874 - A Junta de Paróquia de S. Miguel do Rio Torto é composta pelos seguintes elementos: Padre José dos Santos Duarte Marques (Presidente), Manuel Rodrigues Alfaiate (Vogal), José Joaquim de Oliveira Cabedal (Vogal), Justo Rodrigues (Secretário), Manuel Joaquim de Oliveira (Regedor).
1875 - Segundo o Dicionário Corográfico de Pinho Leal, tem 250 fogos.
1878 - Segundo o Censo Nacional tem 1582 habitantes.
1882 - Na distibuição das posturas rurais e urbanas na Freguesia, o Vereador da Câmara Municipal de Abrantes João José Soares Mendes ficou responsável por S. Miguel do Rio Torto.
1885 - Em Julho, populares dão vivas à República e hasteiam a bandeira Republicana em S. Miguel do Rio Torto.
1887 - Em Julho, nasceu am Carvalhal (Freguesia de S. Miguel do Rio Torto) Henrique Augusto da Silva Martins, Industrial e Presidente da Câmara Municipal de Abrantes.
1889 - Há uma crise de varíola em S. Miguel do Rio Torto que provoca várias mortes.
1890 - Segundo os Censos deste ano teria 410 fogos e 1756 habitantes.
1892 - Em Novembro, o Rei D. Carlos e a Raínha Dona Amélia foram cumprimentados pelas autoridades na Estação (Freguesia de S. Miguel do Rio Torto).
1894 - No dia 4 de Abril, nasce na moagem (Freguesia de S. Miguel do Rio Torto) o Dr. António Augusto da Silva Martins.
1896 - A Junta de Paróquia de S. Miguel do Rio Torto é composta por: Padre José Martins da Conceição (Presidente), Zeferino Lopes Tarouco (Vogal), José de Oliveira Cabedal (Vogal), José de Oliveira Costa (Vogal), Manuel João Ferreira (Secretário), Manuel de Oliveira Cabedal (Tesoureiro), Manuel da Costa (Regedor).
1897 - É composta a Comissão Republicana em S. Miguel do Rio Torto.
1899 - Greve em S. Miguel do Rio Torto na fábrica de rolhas de António Martinho da Costa.
1899 - A Assembleia Eleitoral de S. Miguel do Rio Torto abrange: S. Miguel do Rio Torto, Pego, Bemposta e Tramagal.
1900 - Segundo o Censo deste ano tem 558 fogos e 2216 habitantes.
1901 - Em Novembro, durante umas eleições para a Junta de Paróquia não foi constituida mesa de voto devido a pequenas irregularidades.
1902 - Em Janeiro, após eleições, toma posse a nova Junta de Paróquia presidida por Manuel Fernandes Gaio, coadjuvado por Fernando José Pequeno e Manuel de Oliveira Cabedal.
1903 - Em Carvalhal (Freguesia de S. Miguel do Rio Torto), é inaugurada a "Moagem Afonso XIII" de João Augusto da Silva Martins que contou com a presença do Rei de Espanha Afonso XIII.
1903 - Em Agosto, é criada a primeira Escola oficial em S. Miguel do Rio Torto.
1908 - Nas Eleições para a Junta de Paróquia os Republicanos vencem em S. Miguel do Rio Torto.
1909 - No dia 9 de Outubro, em S. Miguel do Rio Torto, foi inaugurada a Rua General Avelar Machado.
1910 - No dia 5 de Outubro, com a Implantação da República, Manuel Fernandes Pequeno, grande vulto do Republicanismo em S. Miguel do Rio Torto hasteou a bandeira republicana na varanda da sua casa.
1911 - Segundo os Censos tem 653 fogos e 2499 habitantes.
1912 - Funciona em S. Miguel do Rio Torto o Centro Republicano Rio Torto.
1913 - A Junta de Freguesia é composta pelos seguintes elementos: Manuel Fernandes Pequeno (Presidente), Fernando José Pequeno (Vice Presidente), César Alves Cardoso (Vogal), José Domigos Catroga (Secretário), Joaquim Lopes de Oliveira (Tesoureiro).
1917 - A Junta de Freguesia é composta pelos seguintes elementos: Joaquim Ventura (Presidente), Manuel Lopes de Oliveira Júnior (Vice-Presidente), César Alves Cardoso (Vogal), Manuel João Ferreira (Secretário).
1918 - A Assembleia Eleitoral de S. Miguel do Rio Torto é anexada à de Rossio ao Sul do Tejo.
1919 - No dia 11 de Março, Manuel Fernandes Pequeno toma posse como Vereador da Câmara Municipal de Abrantes.
1919 - João Lopes Gaio é Presidente da Junta de Freguesia de S. Miguel do Rio Torto.
1920 - Segundo os Censos tem 787 fogos e 2577 habitantes.
1922 - Durante umas eleições em Janeiro, a mesa eleitoral de S. Miguel do Rio Torto não funciona.
1930 - A 12 de Dezembro nasce na Freguesia de S. Miguel do Rio Torto Manuel Faria, que se sagrou campeão de Atletismo.
1930 - Segundo o Censo tem 995 fogos e 3315 habitantes.
1930 - Faleceu em Lisboa o Dr. António Augusto da Silva Martins.
1931 - Em Dezembro, foi realizada em S. Miguel do Rio Torto a Conferência de S. Vicentede Paulo.
1932 - Em Janeiro, é inaugurada a Rua João Augusto da Silva Martins e feita uma homenagem ao Dr. António Augusto da Silva Martins.
1932 - É inaugurada em S. Miguel do Rio Torto a primeira cabine de Telefone.
1933 - Em Março, nos resultados das eleições de Aprovação da Constituição, em S. Miguel houve 879 votos a favor, 199 votos de aprovação tácita e não houve totos contra.
1933 - Em Abril, está em reparação a estrada entre o Rio Torto e a sede de Freguesia que estava degradada e não era reparada desde que fora contruída no tempo da monarquia.
1933 - Em Abril, a Escola Oficial de Arreciadas está quase concluida.
1933 - As Festas de S. Miguel em honra de Nossa Senhora da Conceição foram em 23, 24 e 25 de Setembro.
1933 - Em Dezembro, prosseguem os trabalhos de captação de água nas nascentes do Vale das Dona para abastecer as Lameiras, Vale das Donas, Carvalhal e Rossio.
1934 - No dia 2 de Janeiro sob proposta de Henrique Augusto da Silva Martins, deu nome de grandes vultos da nacionalidade a algumas escolas do Concelho, entre as quais a de Arreciadas que passou a chamar-se Escola Dr. António de Oliveira Salazar.
1934 - No dia 11 de Janeiro, foi inaugurada a primeira sede da Casa do Povo de S. Miguel do Rio Torto cuja sede se situava na primeira Travessa da Rua do Outeiro e teve como primeiro Presidente Henrique Augusto da Silva Martins.
1934 - Em Fevereiro estão concluídos os trabalhos de organização da Casa do Povo e estão constituidos os corpos Sociais desta: Assembleia Geral: Presidente: Henrique Augusto da Silva Martins, Vice Presidente - Manuel Fialho da França Machado, Vogal - José Carlos de Almeida. Direcção - Presidente - Manuel alves Arega, Secretário - Firmino Cardoso, Tesoureiro - Alfredo de Aguiar Pereira Frazão.
1934 - No dia 27 de Fevereiro é publicada no Diário do Governo (2 ª Série, páginas 835 e 838) uma Portaria que nomeia uma Comissão para se proceder à delimitação das Freguesias de S. Miguel do Rio Torto e Rossio ao Sul do Tejo.
1934 - No dia 19 de Outubro, é publucada no Diário do Governo (1 ª Série, página 1889) o Decreto-lei n º 24574 que nunca tendo sido revogado ainda está em vigor.
1934 - Neste ano, é inaugura em S. Miguel do Rio Torto a Rua João Augusto da Silva Martins.
1934 - Em Novembro, é creado um Posto de Registo Civil que funcionará em Carvalhal, junto à Estação de Caminho de Ferro.
1934 - Em Novembro, houve eleições para a Assembleia Nacional e que em S. Miguel 276 votantes, votaram na Lista da União Nacional.
1934 - Em Novembro, em Arrifana, é inaugurada a Rua João Augusto da Silva Martins.
1935 - Em Janeiro é Inaugurada a Rua João Augusto da Silva Martins em Arrifana.
1935 - Em Fevereiro, foi eleita uma nova Direcção para a Casa do Povo: Assembleia Geral: Presidente - Henrique Augusto da Silva Martins, Vice Presidente - Manuel Fialho da França Machado, Vogal - Firmino Cardoso. Direcção: Presidente - José Carlos de Almeida, Secretário - Mateus Lourenço Alfaiate, Tesoureiro - Joaquim Augusto Jacinto.
1935 - Nas Eleições para Presidente da República, em 514 inscritos na Freguesia, votaram 487.
1936 - Em Setembro funcionou na Casa do Povo um Curso Nocturno subsidiado pelo Estado, além de também estarem abertas as inscrições para a "Legião Portuguesa" na Casa do Povo.
1936 - Em Outubro, surge uma primeira notícia sobre a equipe de Futebol de S. Miguel do Rio Torto, em que o Futebol Clube Lameirense, das Lameiras, se deslocou a S. Miguel e S. Miguel perdeu 3-2, além de referir que o s. Miguel também se deslocou a Alferrarede, onde defrontou os Dragões de Alferrarede num jogo que terminou empatado 3-3. A partir daqui, só em 1942 voltaremos a ter notícias de futebol da equipe de S. Miguel.
1936 - Em Dezembro, a cerca da Escola Primária das Arreciadas está quase completa.
1937 - A fonte da Amieira está em construção, segundo imagem da Monografia Abrantes-1937 do Dr. Henrique Miranda Vasconcelos Martins de Carvalho.
1937 - A partir deste mês as escolas primárias da Freguesia passarão a ter cruxifixos.
1938 - A 22 de Agosto faleceu o Dr. João José Luís Damas.
1938 - Em Novembro, um forte temporal causou muitos estragos em S. Miguel do Rio Torto.
1939 - Em Janeiro, houve cinema ambulante em S. Miguel do Rio Torto, com uma Sessão de Propaganda Nacionalista organizada pelo SPN e pela Casa do Povo com o filme "Revolução de Maio".
1939 - A 30 de Março foi publicado o Decreto-lei n º 29506 em que a Câmara Municipal de Abrantes é obrigada a ceder 1400 metros quadrados de terreno para a construção da nova sede da Casa do Povo de S. Miguel do Rio Torto.
1939 - Em Abril, são inaugurados os abastecimentos de água em Carvalhal, Lameiras e Arrifana, com a presença do Governador Civil e demais autoridades civis e militares.
1939 - No dia 16 de Abril, é inaugurada pelo então Ministro das Obras Públicas, Eng. º Duarte Pacheco a Escola Dr. António Augusto da Silva Martins, em Arrifana.
1939 - No dia 13 de Agosto é apresentada publicamente a Filarmónica de S. Miguel do Rio Torto, que tocou nas festas do Castelo e o Regente era João Horácio Mineiro.
1940 - Segundo os Censos, tem 1077 fogos e 3851 habitantes.
1940 - Em Janeiro, a Banda da Casa do Povo de S. Miguel do Rio tortodeu um concerto de boas festas à população e esteve a tocar na estação onde chegou uma delegação governamental e se encontrava o Presidente da Câmara.
1941 - É constituida a Cooperativa Agrícola Rio Torto.
1941 - Um grande ciclone provoca estragos em S. Miguel do Rio Torto.
1942 - Em Novembro, nasce na Rua da Fonte o Dr. Eduardo Catroga.
1945 - Em Julho, nasce na Rua da Fonte o Professor Fernando Catroga.
1949 - Foi inaugurado o edifício da Junta de Freguesia de S. Miguel do Rio Torto.
1952 - No dia 25 de Abril, foi inaugurada a iluminação pública em S. Miguel do Rio Torto.
1956 - No dia 15 de Julho, foi inaugurada a nova sede da Casa do Povo de S. Miguel do Rio Torto que contou com a presença do então Ministro das Corporações, Dr. Henrique Veiga de Macedo.
1957 - Foi instalado o fontanário no Largo do Pinheirinho.
1958 - Durante as eleições presidenciais a que concorreu Humberto Delgado houve confusão em S. Miguel do Rio Torto.
1958 - Foi colocado como professor primário em S. Miguel do Rio Torto o Professor João Martins Farinha.
1972 - Em Dezembro é criada a delegação da Casa do Povo de S. Miguel do Rio Torto em Arreciadas.
1975 - No dia 6 de Abril é inaugurado o Campo de Tiro de S. Miguel do Rio Torto.
1978 - Foi inaugurado o Ringue de S. Miguel do Rio Torto, uma obra construida pela população.
1979 - A maior cheia de sempre atinge S. Miguel do Rio Torto, dobretudo a Arrifana, pois a água chegou a entrar na Igreja Matriz e no cemitério.
1986 - último ano que funcionou a Tele-escola em S. Miguel do Rio Torto.
1991 - Maria José Oliveira substitui Joaquim Texugo na presidência da Junta.
1993 - O Dr. Eduardo Catroga é Ministro das Finanças, mantendo-se no Cargo até 1995.
1994 - Ana Maria Catroga substitui Maria José Oliveira como Presidente da Junta.
1996 - Obras de repavimentação da estrada Municipal S. Miguel do Rio Torto/Arrifana (que chegaram apenas ao cemitério e não à Arrifana). Durante estas obras foi destruida a Fonte da Mina.
1997 - Joaquim Lopes substitui Ana Maria Catroga como Presidente da Junta.
1998 - No dia 5 de Outubro o Professor Fernando Catroga é condecorado com a Ordem de Santiago pelo Presidente da República.
2001 - Manuel Matos Gomes substitui Joaquim Lopes como Presidente da Junta.
2003 - O Professor Fernando Catroga ascende a Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.
2003 - No início de Agosto um grande incêndio pôs em perigo S. Miguel do Rio Torto.
2003 - Em Dezembro, o periódico A Nossa Terra Natal é extinto sendo incorporado no periódico Nova Aliança.
2004 - Faleceu Manuel Faria, campeão de atletismo.
2004 - No Diário da República de 27 de Maio (3 ª Série, pag. 11138) vem o Diploma Legal que instaura a Bandeira, Brasão e Selo da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto.
2005 - É repavimentada a estrada Municipal entr S. Miguel do Rio Torto e Bicas.
2005 - Foi inaugurada a nova sede da Junta de Freguesia de S. Miguel do Rio Torto.
2005 - A 27 de Outubro tomou posse a nova Junta de Freguesia liderada por Maria de Lurdes Almeida Botas.
2005 - Eleições para a Casa do Povo em que venceu a única lista apresentada a escrutínio em 17 de Dezembro.
2006 - A 2 de Janeiro tomou posse a nova Direcção da Casa do Povo recentemente eleita.
2006 - A 29 de Janeiro nevou em S. Miguel do Rio Torto.
2006 - Em Janeiro foi retirado o contador da água da Fonte do Cemitério de S. Miguel do Rio Torto onde se vinha abastecer práticamente todo o Concelho de Abrantes, deixando assim de ser um local de abastecimento de água.
2006 - Em Fevereiro, a Junta de Freguesia comunicou à população que em Abril estava prevista a primeira fase de alcatroamento de Ruas em S. Miguel do Rio Torto.
2006 - Em Maio, começou a primeira fase de alcatroamento de ruas em S. Miguel do Rio Torto.
2006 - A 10 de Junho o Dr. Eduardo Catroga foi condecorado pelo Presidente da República com a Ordem de Cristo.
2006 - Em Julho, foram concluidos os trabalhos e entrou em funcionamento a conduta elevatória entre o Vale das Donas e S. Miguel do Rio Torto.
2006 - Entre 19 de Agosto e 3 de Setembro, foi feita uma exposição fotográfica na Sede da Junta de Freguesia sobre o tema "o Fogo", com imagens do fotófrafo profissional Rogério Oliveira e que foram captadas em S. Miguel do Rio Torto durante o incêndio de Agosto de 2003.
2006 - A 9 de Setembro foi oficialmente inaugurado o Centro Social Paroquial de S. Miguel do Rio Torto com a presença das seguintes entidades: Bispo de Portalegre e Castelo Branco, Pároco de S. Miguel do Rio Torto, Presidente da Câmara Municipal de Abrantes, Presidente da Junta de Freguesia de S. Miguel do Rio Torto e Secretário de Estado da Segurança Social, entre outros.
2006 - Em Outubro, numa Assembleia de Freguesia é decidido que a Rua da Cerâmica passará a chamar-se Rua Sebastião Lino de Almeida.
2006 - De 11 a 15 de Dezembro houve uma exposição de Artesanato na sede da Junta de Freguesia de S. Miguel do Rio Torto integrada na Semana Social.
2007 - A 22 de Janeiro foi inaugurado o novo edifício da Extensão do Centro de Saúde de Abrantes em S. Miguel do Rio Torto, com a presença do Director da ARS de Santarém, Dr. Fernando Afoito, entre outros.
2007 - Em Janeiro, foi feita a pintura exterior do Depósito de Água de S. Miguel do Rio Torto.
2007 - O periódico "O Ribatejo", na edição de 15 de Junho, no espaço "Rota das Freguesias", tem uma ampla reportagem sobre a Freguesia de S. Miguel do Rio Torto.
2007 - Em Setembro, foi adjudicada a empreitada da segunda fase de requalificação dos arruamentos da aldeia e sede de Freguesia.
2007 - Em finais de Setembro foram as comemorações centenárias da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto. Facto que contou com o içar da bandeira ao som da banda de Rossio ao Sul do Tejo, o mercado medieval, missa campal, cerimónias oficiais com a homenagem aos professores primários que leccionaram na Freguesia, exposição de bordados, animação de rua com grupo de gaiteiros, houve petisco com "porco no espeto" e noite de fados.
2007 - Em Outubro, começou a segunda fase de requalificação dos arruamentos de S. ;Miguel do Rio Torto.
2007 - Em Novembro, o n º 10 da Revista de História Local de Abrantes "Zahara", nas memórias paroquiais, foi dedicado a S. Miguel do Rio Torto, visto tratar-se da Freguesia que se seguia pela ordem alfabética.
2008 - No dia 2 de Abril, a Ministra da Educação, Dr. ª Maria de Lurdes Rodrigues, esteve na Escola Básican º 1 de S. Miguel do Rio Torto para proceder à conclusão do projecto Mocho XXI.
2008 - No dia 20 de Abril o Orfeão Abrantino actuou na Capela de S. Miguel do Rio Torto.
2008 - Em Setembro, houve as festas da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto.
2008 - No dia 27 de Setembro, no Âmbito das Festas da Freguesia, pela primeira vez, houve uma Serenata de Coimbra em S. Miguel do Rio Torto, com o Grupo de Canto e Guitarra de Coimbra.
2008 - No dia 13 de Dezembro, Rui Lopes, natural de S. Miguel do Rio Torto, lançou o seu primeiro livro "Lucas Junot: o estudante brasileiro que cantou Coimbra - fotobiografia" em Coimbra. Posteriormente, seria também apresentado em S. Miguel do Rio Torto, no edifício das escolas primárias.
2009 - No dia 5 de Março, Rui Lopes, natural de S. Miguel do Rio Torto, apresentou o seu livro na Biblioteca António Botto - Abrantes, cerimónia que contou com Fados de Coimbra pelo grupo de Canto e Guitarra de Coimbra do Centro Cultural Regional de Santarém.
2009 - No dia 12 de Março, o livro de Rui Lopes foi apresentado na Residência Oficial do Embaixador do Brasil em Portugal, cerimónia em que foi anfitrião o Sr. Embaixador do Brasil em Portugal, Dr. Celso Vieira de Souza e que contou com a presença do corpo diplomático do Brasil em Portugal, terminando com uma Serenata de Coimbra pelo grupo "Porta Férrea".
2009 - No dia 3 de Junho, em Coimbra, na Livraria Almedina, o Professor Doutor Fernando Catroga, natural de S. Miguel do Rio Torto lançou o seu livro: Os Passos do Homem como restolho do tempo. Memória e fim do fim da História. Com a chancela da Livraria Almedina.
2009 - No dia 2 de Novembro tomou posse a Junta de Freguesia liderada por Helena Isabel de Matos Martinho.

segunda-feira, novembro 13, 2006

Novo nome de Rua em S Miguel do Rio Torto: Rua Sebastiao Lino de Almeida




Segundo me informaram, numa sessão da Assembleia de Freguesia de S. Miguel do Rio Torto realizada recentemente, o Sr. Nascimento Alves Cardoso, eleito pela CDU para o órgão autárquico anterirmente referido terá proposto que a actual Rua da Cerâmica fosse crismada de Rua Sebastião Lino de Almeida, proposta essa que foi aprovada.
Sebastião Lino de Almeida foi Presidente da Junta de Freguesia de S. Miguel do Rio Torto durante o Estado Novo e foi durante a sua Presidência de Junta que foi feito o "Bairro Novo", que hoje, em vez das Ruas terem nomes têm números (não sei quem foi/ram o/os autor/res de mais repugnate ideia). Além disso, Sebastião Lino de Almeida foi um industrial na área da cerâmica, tendo a Cerâmica em S. Miguel do Rio Torto (precisamente na Rua da Cerâmica) e no Cabrito, tanto que muitas das casas de S. Miguel do Rio Torto nos tijolos e telhas com que foram construidos ainda têm a marca "Sebastião Lino de Almeida- S. Miguel do Rio Torto".
Agora só falta tratar da burocracia para que a Rua se chame efectivamente Rua Sebastião Lino de Almeida.
É de aplaudir o facto de Sebastião Lino de Almeida ter uma Rua com o seu nome em S. Miguel do Rio Torto, no entanto, mais uma vez relembro, para quando em S. Miguel do Rio Torto a Rua Dr. João José Luis Damas (1871-1938), natural de S. Miguel do Rio Torto, Médico e deputado à Assembleia da República na Primeira República (logo nas primeiras consituintes de 1911)?
Quanto às imagens, são da actual Rua da Cerâmica (futura Rua Sebastião Lino de Almeida), uma tirada dentro da aldeia, outra tirada à entrada da aldeia quando se vem do lado de Tramagal, vendo-se nesta última uma fonte hoje algo abandonada e vandalizada.
Nota: fotos do autor.

domingo, novembro 12, 2006

Figuras Importantes de S. Miguel do Rio Torto: João Augusto da Silva Martins


Embora não esteja nas melhores condições, é a única foto que tenho de João Augusto da Silva Martins.
João Augusto da Silva Martins nasceu em S. Miguel do Rio Torto, na Rua que hoje tem o seu nome (Rua do meio), embora eu não saiba a data concrecta do seu nascimento, deverá ter sido mais ou menos em meados do Século XIX.
Desde tenra idade começou a trabalhar e foi um self made man já que conseguiu construir uma das grandes empresas da região ainda no Século XIX: a moagem, em Carvalhal (entre a Arrifana e a Estação), mais conhecida por Companhia de Moagem de Abrantes.
Era um monárquico fervoso que a sua moagem foi muito tempo a Companhia de Moagem Afonso XIII, tendo tido a visita do Rei de Espanha com este nome no início do Século XX.
A moagem sobreviveu à Implantação da República e João Augusto da Silva Martins faleceu no início da Década de 20 do Século passado e foi sepultado no cemitério paroquial de S. Miguel do Rio Torto, num jazigo mandado construir pela sua viúva que se encontra do lado esquerdo do cemitério se estivermos de frente para o cemitério. Na Década de 30, foi unaugurada em S. Miguel do Rio Torto a Rua com o seu nome.
Ainda em relação a João Augusto da Silva Martins, cumpre referir que foi pai de 3 pessoas importantes:
- o Dr. António Augusto da Silva Martins, Médico, campeão de tiro e combatente na Grande Guerra (Tenente Médico) onde foi condecorado com a Torre e Espada. Além disso, foi amigo pessoal do Professor Egas Moniz (futuramente prémio Nobel da Medicina - 1949). Tem hoje o seu nome na Rua Principal de Rossio ao Sul do Tejo e o Busto no Jardim do Castelo de Abrantes. Por outro lado o Dr. António Augusto da Silva Martins é pai de outra pessoa importante: o Professor Doutor Gentil Martins, célebre por fazer as operações aos gémeos siameses.
- João Augusto da Silva Martins Júnior, que foi um republicano activo e esteve envolvido na Abrilada de 1925 (o ensaio do 28 de Maio de 1926). Publicou a obra António Martins - in memoriam, dedicado ao seu irmão António Augusto da Silva Martins aquando da morte deste.
- Henrique Augusto da Silva Martins, Monárquico assunmido e apoiante fervoso de Salazar e do Estado Novo (em 1925, ainda durante a vigência da primeira República terá feito um discurso sobre a raça Lusitana). Foi o primeiro Presidente da Casa do Povo de S. Miguel do Rio Torto em 1934. Durente práticamente as décadas de 30 e 40 do Século passado foi o Presidente da Câmara Minicipal de Abrantes, tendo também inaugurado a Fonte da Amieira em meados dos anos 30.

Figuras Importantes de S. Miguel do Rio Torto: Professor Doutor Fernando José Almeida Catroga


O Professor Doutor Fernando Catroga nasceu em Julho de 1945 na Rua da Fonte em S. Miguel do Rio Torto, sendo o segundo filho de José Domingos Catroga e Joaquina Alves e irmão do Dr. Eduardo Catroga.
Estudou na Escola Primária de S. Miguel do Rio Torto, onde foi aluno da Professora Maria Virgínia e do Professor João Alves. Posteriormente estudou na Escola Industrial e Comercial de Abrantes (EICA) antes de rumar a Lisboa para estudar Economia no então ISEF, no entanto, decidiu mudar de Curso e ingressou em Filosofia na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, tendo-se Licenciado em Filosofia. Por outro lado, chega também a Coimbra no auge das lutas estudantis contra a ditadura tendo participado activamente na Crise Académica de 1969.
Após concluir Filosofia, ficou a dar aulas na Faculdade de Letras de Coimbra, no entanto, na década de 80 do Século passado as suas atenções inclinaram-se mais para o campo da História, nomeadamento para o estudo da História da morte, Republicanismo, Memória, Filosofias da História, Positivismo, entre outras coisas, tendo-se doutorado em 1988 com a tese intitulada "A Militância Laica e a Descristianização da Morte em Portugal".
Posteriormente apresentou as provas públicas de Agregação, para poder ser Professor Agregado (condição necessária para ascender a Professor Catedrático), tendo atingido o topo da carreira em 2003, ao tomar posse como Professor Catedrático da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, continuando a leccionar na Universidade de Coimbra até à sua jubilação em 25 de Maio de 2015.
Em 5 de Outubro 1998, devido aos seus estudos sobre o Republicanismo, foi condecorado pelo Presidente da República com a comenda da Ordem de Santiago, foi Presidente da Comissão Científica do Grupo de História da Faculdade de Letras de Coimbra e Director da Revista de História das Idéias, do Instituto de História e Teoria das Ideias, do qual o Professor Fernando Catroga faz parte.
Em 2001, no Brasil, foi-lhe atribuida a medalha de honra da Universidade de S. Paulo.
Por outro lado, tem dado conferências em Portugal, e no estrangeiro, sobretudo em Espanha, França e Brasil.
Tem várias obras publicadas, entre as quais:
- A formação do movimento republicano. Coimbra: Edição de Autor, 1982.
- Antero de Quental: História, Socialismo e Política. Lisboa: Editorial Notícias, 2001.
- Caminhos do fim da História. Coimbra: Livraria Quarteto, 2003.
- Ensaio Republicano. Fundação Francisco Manuel dos Santos.
A Geografia dos Afectos Pátrios - As Reformas Político-Administrativas (Sécs. XIX-XX). Coimbra: Almedina, 2013.
- Memória, História e Historiografia. Coimbra: Livraria Quarteto, 2002.
- O Céu da Memória: Cemitério Romântico e Culto Cívico dos Mortos. Coimbra: Livraria Minerva, 1998.
- O Republicanismo em Portugal, das origens ao 5 de Outubro. Lisboa: Editoria Notícias, 1999.
- Entre Deuses e Césares - Secularização, Laicidade e Religião Civil. Coimbra: Livraria Almedina, 2006.
- Os Passos do Homem como Restolho do Tempo. Memória e Fim do Fim da História. Coimbra: Livraria Almedina, 2009.
Publicou ainda em conjunto com os Professores Reis Torgal e Amado Mendes a obra História da História em Portugal, com a chancela do Circulo de Leitores.
Além disso, tem inúmeros artigos em revistas científicas, cuja Bibliografia pode ser consultada em: www.uc.pt/ihti/pag_pess/catroga.html

Figuras importantes de S. Miguel do Rio Torto: Dr. Eduardo de Almeida Catroga


O Dr. Eduardo Almeida Catroga nasceu em 1942 em S. Miguel do Rio Torto na Rua da Fonte, sedo o filho mais velho de José Domingos Catroga e Joaquina Alves e irmão do Professor Fernando José Almeida Catroga.
Fez os estudos primários na Escola Primária de S. Miguel do Rio Torto, tendo sido aluno da Professora Maria Virgínia. Posteriormente, frequentou a então Escola Industrial e Comercial de Abrantes (EICA). Terminados os estudos na referida escola rumou a Lisboa para estudar Economia no Isntituto superior de Economia e Finanças, tendo terminado o Curso em 1966 com a classificação mais elevada do Curso, obtendo o Prémio Alfredo da Silva de melhor aluno nesse ano.
Terminado o Curso ficou a exercer a sua profissão em Lisboa, tendo sido Professor Assistente no actual ISEG, onde é hoje professor catedrático convidado, além de ter trabalhado também na CUF. Posteriormente, integrou-se na SAPEC tendo chegado a Administrador desta empresa, cargo que actualmente ocupa.
Entre 1993 e 1995, foi Ministro das Finanças do Governo chefiado pelo Professor Cavaco Silva, tendo sido até agora o único micaelense a chegar a Ministro.
No dia 10 de Junho de 2006, foi condecorado pelo Presidente da República com a Ordem de Cristo.
Tem dois livros publicados:
- Política Económica, 22 meses no Ministério das Finanças.
- Intervenções sobre Política Económica.
Na net estão mais informações Biográficas do Dr. Eduardo Catroga no seguinte endereço: www.sgmf.pt/NR/rdonlyres/BE46C5D5-417A-4E64-8E2A-D2F9BCB69162/3128/EduardodeAlmeidaCatroga.pdf

Figuras Importantes de S. Miguel do Rio Torto: Dr. João José Luís Damas


O Dr. João José Luís Damas nasceu em S. Miguel do Rio Torto em 1871, no lugar do Arneiro, sendo filho de Álvaro Damas e Maria do Rosário Damas.
Provávelmente terá estudado em S. Miguel, tal como, também provávelmente, terá feito os seus estudos no Liceu de Santarém, pois era para onde ia a maioria dos estudantes do Distrito, no entanto, isto são apenas suposições, pois até ao momento ainda não encontrei documentação que o possa provar, mas certamente que se os Arquivos do Liceu de Santarém estiverem organizados poderá saber-se se frequentou o Liceu de Santarém ou não, esta será uma dos objectivos numa das minhas próximas idas a Santarém.
Estudou na Escola Médico Cirurgica do Porto, cidade onde se aproximou dos ideiais Republicanos e principalmente da Carbonária, tendo participado no malogrado golpe de 31 de Janeiro de 1891 no Porto.
Após ter concluido o Curso, instalou-se em Rossio ao Sul do Tejo, tendo consultório no Largo de Paralva naquela localidade.
Como Médico, embora tivesse modos rudes, pois ralhava muito com os doentes, era um médico dos pobres, pois percorria todo o Concelho de Abrantes a cavalo branco, não importava a que horas da noite fosse para socorrer os seus doentes e, após muito ralhar ... não cobrava nada pela consulta às pessoas que ele via que não tinham condições económicas para pagar. Mais tarde, já não era a cavalo, pois tirou a carta e comprou um carro, conta-se até que no seu exame de condução o examinador lhe terá dito para fazer uma manobra de marcha atrás ao que ele se recusou e o examinador intrigado lhe perguntou como é que tirava o carro da garagem sem fazer marcha atrás, resposta pronta do Dr. Damas: a minha garagem tem duas portas, uma para entrar, outra para saír.
Ainda como Médico foi muitos anos o Médico do partido Municipal e era especialista em curar uma doença da época que se chamavam as "sesões" (ainda não consegui apurar o que era de facto esta doença), além disso, usava como estectoscópio uma toalha molhada enrolada que encotada ao ouvido e ao corpo do doente.
Voltando ao Republicanismo, após a implantação da República em 1910, aderiu ao Partido Democrático do Dr. Afonso Costa, herdeiro do velho Partido Republicano Português, tendo sido Deputado logo nas primeiras constituintes de 1911 e em outras legislaturas durante a primeira república, contudo, da sua acção como deputado na primeira república a que mais importa realçar é o facto de em 1916 ter apresentado no Parlamento o projecto de elevação a cidade de Abrantes, projecto que foi aprovado e Abrantes foi cidade.
Após a queda da primeira República em 1926 foi bastante penalizado, tendo sido afastado de muitos cargos que ocupava, além de ter sido mudado o nome de uma Rua em Abrantes que tinha o seu nome. No entanto, não deixou de conspirar contra o Estado Novo tendo sido interrogado pela PVDE (antecessora da PIDE), embora estranhamente eu já tenha contactado a Torre do Tombo e obtido a resposta que nos Processos da PIDE não há nenhum processo relativo ao Dr. Damas, o que não deixa de ser estranho pois consta que terá estado na eminência de ir para o Tarrafal e só não foi por intercedência do então Ministro da Justiça: Professor Doutor Manuel Rodrigues Júnior (natural de Bemposta) de quem era amigo pessoal.
Faleceu a 22 de Agosto de 1938, tendo sido sepultado no dia seguinte num jazigo do cemitério de Abrantes.
Quanto ao memorial do Dr. Damas, apenas existe o Largo Dr. João José Luís Damas em Rossio ao Sul to Tejo, sendo de lamentar que tanto S. Miguel do Rio Torto, sua terra natal, como a cidade de Abrantes, da qual apresentou no parlamento o projecto de elevação a cidade ainda não tenham uma Rua com o seu nome.
Nota: Quem quiser saber algo mais sobre a figura do Dr. João José Luís Damas poderá consultar a obra "As Constituintes de 1911 e os seus deputados", uma obra editada em 1911 pela Assembleia da República que tem pequenas Biografias dos deputados, no entanto, esta obra é extremamente rara e, tanto quanto eu saiba existe um exemplar na biblioteca Geral da Universidade de Coimbra e outro na Biblioteca Nacional, o que não exclui a possibilidade de existiram mais exemplares.
Nota: A imagem foi retirada da obra As Constituintes de 1911 os seus deputados. Lisboa: [S. N.], 1911.

segunda-feira, novembro 06, 2006

Heráldica de S. Miguel do Rio Torto

Este é o símbolo de S. Miguel do Rio Torto e foi retirado do Link do site da Câmara Municipal de Abrantes: www.cm-abrantes.pt que diz respeito às Freguesias.
Este Simbolo foi publicado em Diário da República que seguidamente transcrevo.
JUNTA DE FREGUESIA DE S. MIGUEL DO RIO TORTO
EDITAL
BRASÃO, BANDEIRA E SELO
Manuel Henrique de Matos Gomes, Presidente da Junta de Freguesia de S. Miguel do Rio Torto, do Concelho de Abrantes.
Torna pública a ordenação heráldica da Freguesia de S. Miguel do Rio Torto, do Município de Abrantes, tendo em conta o parecer emitido em 18 de Março de 2004, pela Comissão de Herádica da Associação dos Arqueólogos Portugueses, e que foi estabelecido, sob proposta desta Junta de Freguesia, em Sessão da Assembleia de Freguesia de 30 de Abril de 2004:
Brasão - Escudo de prata, asna diminuta ondulada de azul e prata de três peças, encimada por espada de lâmina flamejante sustentando balança de dois pratos, tudo a verde. Coroa mural de prata de três torres. Listel branco com legenda a negro «S. Miguel do Rio Torto».
Bandeira - Verde. Cordão e bordas de prata e verde. Haste e lança de ouro.
Selo - Nos termos da lei, com a legenda «Junta de Freguesia de S. Miguel do Rio Torto - Abrantes»`
10 de Maio de 2003 - O Presidente da Junta: Manuel Henrique de Matos Gomes.
A transcrição foi retirada do Diário da República n º 124, 3 ª Série de 27 de Maio de 2004, p. 11138.
Quanto à Bandeira e Estandarte da nossa terra poderão ser visualizados no seguinte site: www.fisicohomepage.hpg.ig.com.br/abt-smiguelriotorto.htm

domingo, novembro 05, 2006

As Memórias Paroquiais de S. Miguel do Rio Torto







Já anteriormente, no blog antigo tinha sido publicado um post com as Memórias Paroquiais de S. Miguel do Rio Torto que, no entanto, não tinha publicadas as imagens destas (imagens retiradas do site da Torrte do Tombo). No entanto, cumpre-me referir que as imagens devem-se começar a ler da que está em baixo para a que está em cima.
Estas "memórias paroquiais" foram uma consequência do Terramoto de 1755, pois o Marquês de Pombal quis que fossem conhecidos os estragos do terramoto e nada melhor do que um questionário a que todos os párocos estavam obrigados a responder, ficando no entanto em branco as questões para as quais não havia resposta.
Seguidamente vem a transcrição do Documento.

Nota: as imagens das memórias paroquiais foram retiradas da página da Torre do Tombo em: www.iantt.pt



MEMÓRIAS PAROQUIAIS

Sendome prezentez e por mim bem vistos os interrogatorioz impressoz que por ordem do Excelentissimo Reverendissimo Senhor Bernardo Antonio de Mello Ozorio Bispo deste Bispado da Guarda me foram remetidos para dizer o que conhecem esta aldeya de Sancto Miguel, em revista a cada hum destez bem indagadaz as circunstanciaz da predicta aldeya a este repeito seguem do modo seguinte.

Aldeya de Sancto Miguel

1 - Esta situada na Provincia de alem tejo sugeita ao governo de armaz da Extremadura, pertence ao Bispado da Guarda, a Comarca de Tomar, ao termo de Abrantez, Freguezia de Sancto Miguel do Rio Torto.

2 - He de donatario e de prezente o hé a Excelentissima Senhora Donna Anna de Lorena, Duqueza Camareyra Mor.

3 - Tem Duzentoz hum vezinhoz e seiscentez e noventa e huma pessoaz.

4 - Está situada em monte, deste se descobre a Villa de Abrantez, que lhe dista meya légoa, e tambem se descobre o logar de Monte Alvo, que lhe dista légoa e meya, e também o logar do Pego que lhe dista huma légoa.

5 - Nam ha a dizer nem maez que as anteriorez.

6 - A parochia está fora do logar, tem duas aldeyas. Huma tem por nome Sancto Miguel, a outra Bicaz.

7 - O orago da Parochia he Sancto Miguel, tem cinco altarez, o de Sancto Miguel, o de Nossa Senhora do Socorro, o de Nossa Senhora do Rozário, o de Espirito Sancto e o das Almaz, nam tem navez, tem a irmandade das almaz.

8 - O Parrocho de Cura da aprezentação do Vigairo de Sancto Joam Bauptista da Villa de Abrantez tem de renda cincoenta mil reiz.

13 - Tem trez ermidaz, a de Nossa Senhora da Conceiçam, está dentro do logar, pertence a Dona Maria Bernardina Seca, a do Senhora da Boa Morte, já fora do logar, pertence ao reverendo Manoel Alves Seco, a de Sancto Joam Bauptista, esta fora do logar, pertence ao Doutor Reverendo Joam Bernardez da Villa de Abrantez.

15 - Os fructos que se colhe em mayor abundancia he azeyte.

16 - Está Sugeita ao governo da camara e maez justissaz da Villa de Abrantez.

20 - Servesse do correio da Villa de Abrantez qui lhe dista meya légoa.

21 - Dista da cidade capital do Bispado vinte e oyto légoaz e da de Lisboa capital do Reyno vinte e quatro

26 - No terramoto de 1755 padeceram algumas paredez de algumaz cazaz. aberturaz que se acham reformadaz.

27 - Nam ha que responder aos interrogatorioz da segunda parte.

Terceyra parte

1 - Junto a esta terra corre um rio chamado Rio Torto, tem o seu nascimento onde chamam o padram, termo da Villa de Abrantez.

2 - Nam he caudalloso em seu nascimento e todo anno tem corrente.

5 - Quando ha copiozaz chuvas he arrebatado.

6 - Corre do nascente para o poente.

7 - Cria peixez miudoz a que chamam barbiscoz.

8 - Todo anno se pesca nelle.

9 - Suaz pescariaz sam livrez em todo anno.

10 - Suaz margenz sam cultivadaz, o arvoredo em mayor quantidade he de fructo.

11 - Suaz agoas nam tem virtude particular.

12 - Sempre conserva o mesmo nome com que nasse, de Rio Torto, e nunca teve outro nome.

13 - Morre no Rio Torto e o citio onde se encerra nele chamasse Naveyros.

16 - tem muinhoz e lagarez de azeyte.

18 - Os povoz uzam de suaz agoas livremente, pera cultura dos dos campos.

19 - Tem duaz légoaz de corrente, corre por dezerto.

20 - Nam tem couza notavel.

Nam [????] esta aldea e a freguezia de S. Miguel da qual advertida nos interrogatorioz do que as descriptaz.

S. Miguel do Rio Torto. 20 de Mayo de 1758.

O Cura Padre Luiz da Costa

sexta-feira, novembro 03, 2006

Lançamento de Livro do Professor Fernando Catroga


Recebi hoje um convite para o lançamento de mais um livro deste nosso ilustre conterrâneo, o Professor Doutor Fernando José Almeida Catroga, natural da nossa aldeia, cuja biografia já está no blog que este substitui num post de Novembro de 2005.
O lançamento da obra do Professor Fernando Catroga será no próximo dia 6 de Novembro, pelas 21 horas, na Livraria Almedina no Estádio Cidade de Coimbra, com apresentação do Professor Doutor Vital Moreira e tem o título: "Entre Deuses e Césares - Secularização, Laicidade e Religião Civil", Editado pela Livraria Almedina e integrado na colecção "O tempo e a Norma".
Os parabéns a este nosso conterrâneo por mais uma obra publicada.

Novo Endereço do Blog sobre História e Actualidade de S. Miguel do Rio Torto

Como os "velhos blogs" do sapo ficaram indisponíveis, o blog sobre História e Actualidade de S. Miguel do Rio Torto continuará neste blog, até porque tem mais capacidade para aguentar com imagens, etc. Quanto à informação que está no blog anterior, para já, ficará lá, no entanto, dado o perigo de o blog ser apagado, aos poucos será posta em posts a informação mais pertinente neste blog, pois a informação sobre História e Actualidade de S. Miguel do Rio Torto irá continuar.